sexta-feira, 27 de maio de 2016

Testemunhos RBE 20 anos

     No âmbito das comemorações dos seus 20 anos, a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) lançou o desafio aos agrupamentos para que os vários elementos da comunidade educativa (alunos, professores, assistentes operacionais, pais…) dessem o seu contributo, contando por escrito de que forma foram tocados pela sua biblioteca.
     Neste agrupamento houve um número considerável de participantes. Aqui ficam excertos de alguns desses testemunhos, que comprovam que “as bibliotecas são locais privilegiados nas escolas, muitas vezes os mais bonitos e confortáveis, onde todos são acolhidos e bem-vindos. São espaços de liberdade, de tolerância, de inclusão, de reflexão, de inovação, de práticas diferentes” (RBE, 2016):


Como dá para perceber, a Biblioteca Escolar é um bem necessário!...
Leonardo Vieira – A4C
A biblioteca é um dos sítios que eu gosto mais de frequentar porque ela para mim é muito importante. A biblioteca é um mundo de sonhos e é muito positiva para a minha vida porque posso fazer o que quero sem ter problemas. Eu adoro a biblioteca!
Sara Barros Costa – A4C
Ainda que as bibliotecas se assemelhem a um “sótão” no qual há sempre espaço para algo mais, estas tornam-se nos locais mais apropriados para parar e pensar. A calma e atmosfera que criam levam a que nos sintamos confortáveis para estudar, trabalhar ou simplesmente parar na correria dos dias e desfrutar dos bons livros que arrumámos neste “sótão”. Para mim, a biblioteca é o meu local predileto para estudar, visto que me traz um momento de concentração e serenidade.
Mariana Lima – 11.º A
Não devemos encarar a biblioteca apenas como um simples espaço físico mas sim como uma oportunidade de alargar horizontes, de transmitir mais de nós próprios, de nos conhecermos... Porque uma biblioteca não é simplesmente um lugar de livros e de estudo, mas um novo mundo para explorarmos e descobrirmos.
Tânia Lima – 12.º A


Foi muito cedo que tomei o gosto pela leitura e, como na altura que me criei não havia grande disponibilidade financeira, comecei a ir buscar livros à biblioteca itinerante da Fundação Calouste Gulbenkian que, quinzenalmente, ia à minha aldeia. Ficava sempre com dez livros que devorava à noite, à luz das velas. Cresci e os livros continuam a ser a minha grande paixão, por isso, tenho na biblioteca da escola onde trabalho o meu ponto de apoio.
O mundo sem bibliotecas seria como viver na escuridão.

Isabel Fernandes, Assistente Operacional





Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.