terça-feira, 17 de março de 2015

CONCURSO CONCELHIO DE LEITURA 2015
19 de março

Alunos apurados para a final na BMPL:

1.º Ciclo - CE de Arcozelo:

Eduarda Sofia da Cunha Pereira, 3.º ano
André Maciel Sousa, 4.º ano

1.º Ciclo - CE de Refoios:    
Patrícia Alves Pereira, 3.º ano
Bruna da Cunha Cerqueira, 
4.º ano        
       
2.º Ciclo

5.º ano
Ana Raquel de Lima Freitas, 5.º C
Joana Filipa Amorim Antunes, 
5.º C

6.º ano
Mara Lago, 6.º B
Miguel Maciel Máximo, 6.º C

quarta-feira, 11 de março de 2015



A Companhia de Teatro de Coimbra AtrapalhArte está de novo no nosso Agrupamento para apresentar a peça Robertices, uma adaptação da obra homónima de Luísa Dacosta.
Hoje conquistou miúdos e graúdos dos JI de Arcozelo, Brandara, Calheiros e Cepões e do CE de Arcozelo. Amanhã estará nos CE das Lagoas (manhã) e de Refoios (tarde), onde voltarão a brilhar e a encantar, certamente.
Mais um excelente trabalho deste grupo que o Agrupamento tem o prazer de acolher. 

sexta-feira, 6 de março de 2015


A Mulher que passa 

Meu Deus, eu quero a mulher que passa.
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!

Oh! Como és linda, mulher que passas
Que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!

Teus sentimentos são poesia
Teus sofrimentos, melancolia.
Teus pelos leves são relva boa
Fresca e macia.
Teus belos braços são cisnes mansos
Longe das vozes da ventania.

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Como te adoro, mulher que passas
Que vens e passas, que me sacias
Dentro das noites, dentro dos dias!
Por que me faltas, se te procuro?
Por que me odeias quando te juro
Que te perdia se me encontravas
E me encontrava se te perdias?

Por que não voltas, mulher que passas?
Por que não enches a minha vida?
Por que não voltas, mulher querida
Sempre perdida, nunca encontrada?
Por que não voltas à minha vida?
Para o que sofro não ser desgraça?

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Eu quero-a agora, sem mais demora
A minha amada mulher que passa!

No santo nome do teu martírio
Do teu martírio que nunca cessa
Meu Deus, eu quero, quero depressa
A minha amada mulher que passa!

Que fica e passa, que pacifica
Que é tanto pura como devassa
Que boia leve como a cortiça
E tem raízes como a fumaça.

Vinicius de Moraes

quarta-feira, 4 de março de 2015

Sábado na BE! 


     A última sessão de Sábado na BE!, no dia 28 de fevereiro, foi, mais uma vez, um momento muito agradável de dedicação à leitura.
     A história, Apaixonados, de Rébecca Dautremer, fez com que os participantes dessem a sua opinião sobre o que é estar apaixonado e serviu de mote para o ateliê que se seguiu.
     Palavras para quê? Aqui ficam as imagens, falam por si...

     Porque ler...é voar!




sábado, 28 de fevereiro de 2015

Richard Zimler na Biblioteca Escolar de Arcozelo

Na quinta-feira, 26 de fevereiro, a Biblioteca Escolar de Arcozelo recebeu o escritor norte-americano, a residir há vários anos em Portugal, Richard Zimler.
Uma sessão muito dinâmica, que o autor agradeceu várias vezes, satisfeito com a organização e a participação dos alunos dos segundo, terceiro e quarto anos do Centro Educativo de Arcozelo, que presentearam Zimler com excelentes trabalhosacerca da obra que veio apresentar, Se eu fosse…, um livro que encoraja as crianças (e quem sabe os seus pais também) a ultrapassarem as suas limitações e convida-as a nadarem como um peixe tropical ou a cantarem como um melro, ou ainda a afastarem os banhistas da praia com um “sorriso de tubarão”. Um verdadeiro estímulo à imaginação dos mais pequenos, através de histórias de sonho e superação. O autor acredita que as crianças devem ter aventuras libertadoras para se tornarem adultos criativos e imaginativos, capazes de realizarem os seus sonhos.
Outro momento importante da sessão foi a conversa que estabeleceu com os alunos, evidenciando ser um excelente comunicador, com um sotaque encantador. Uma conversa baseada nas perguntas que os pequenos leitores efetuaram, às quais Richard Zimler não se limitou a dar uma resposta que apenas satisfizesse. Respondeu de forma clara, explicando um ou outro pormenor, dando a conhecer um pouco (ou muito) do ser humano por trás do escritor. Ficamos a saber, por exemplo, que a morte do irmão o afetou tão profundamente que o fez querer deixar a Califórnia. Um convite de trabalho no Porto efetuado ao seu companheiro de mais de trinta anos originou a sua vinda para Portugal.
Zimler começou a escrever com apenas cinco anos, mas publicou o seu primeiro livro já com quarenta, O último cabalista de Lisboa. Questionado sobre se alguma das suas obras é baseada numa história verídica, o escritor revelou que À procura de Sana, de 2012, uma história de amizade profunda entre duas mulheres, é baseada em factos reais, na qual o próprio escritor é personagem.
Relativamente às extraordinárias ilustrações da sua mais recente obra, Richard Zimler explicou que Aurélie de Sousa foi a ilustradora que apresentou a melhor proposta, indo ao encontro do que ele idealizara. Depois foi uma questão de acertarem pequenas alterações, de acordo com o que o autor tinha em mente quando escreveu o texto.
Zimler disse ainda aos atentos jovens que para se tornarem melhores escritores devem ler muito e entender bem as pessoas e tudo que os rodeiam, para depois darem corpo às personagens que criam.
Se eu fosse… é resultado de uma inspiração na própria infância e no carinho que sente pelos animais.
No final, como não podia deixar de ser, uma sessão de autógrafos.
Sem dúvida, um momento inesquecível para miúdos e graúdos, bem-disposto e muito produtivo. Contactar com um escritor é uma oportunidade única, uma motivação muito bem fundamentada para a leitura e para a escrita, competências essenciais à vida académica e em sociedade.
Obrigada, Richard Zimler, pela sua presença na nossa biblioteca e por ser quem é!





sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Encontro com Paula Ruivo




Hoje, a escritora Paula Ruivo vai  estar em Cepões (para os JI de Cepões e Calheiros) e na biblioteca do Centro Educativo de Refoios, a apresentar o seu novo livro intitulado Hiroki: o livro mágico, uma obra de literatura infantil que retrata a vida de um peixe que adora fazer malandrices e «encher a barriga de riso».

Mais um dia dedicado ao livro e à leitura que nos vai levar até ao mundo da fantasia.
Paula Ruivo é natural de Vitorino das Donas, concelho de Ponte de Lima e reside na Venda do Pinheiro.
É coordenadora e gestora de um espaço dedicado a terapias complementares, nomeadamente o Reiki.
Foi neste espaço que se sentiu inspirada e começou a escrever, dedicando-se à literatura infantil, pois as crianças são a sua grande paixão.
          Porque ler é...voar!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Sábado na BE!


É já este sábado, dia 28, a próxima sessão de Sábado na BE!

Vamos falar de amor, através da história Apaixonados, um maravilhoso livro escrito e ilustrado por Rébecca Dautremer.  




Ernesto está apaixonado pela Salomé, mas não sabe como dizer-lhe. todos querem dar a sua opinião. Apaixonar-se é... Um livro fascinante para entrar nos mistérios do amor.


Anda também dar a tua opinião.


Encontro com Richard Zimler


Amanhã, o escritor Richard Zimler vai estar na BE de Arcozelo para apresentar a sua mais recente obra, Se eu fosse...











Richard Zimler nasceu em 1956 em Roslyn Heights, um subúrbio de Nova Iorque. Fez um bacharelato em Religião Comparada na Duke University e um mestrado em Jornalismo na Stanford University. Trabalhou como jornalista durante oito anos, principalmente na região de São Francisco. Em 1990 foi viver para o Porto, onde lecionou Jornalismo, primeiro na Escola Superior de Jornalismo e depois na Universidade do Porto. Tem atualmente dupla nacionalidade, americana e portuguesa. Desde 1996, publicou dez romances, uma coletânea de contos e dois livros para crianças.
Foi premiado em 2012, com o Prémio Arco-íris, da Associação ILGA Portugal, pelos seus vários contributos como ativista, escritor e figura pública.

Obras publicadas
& O Último Cabalista de Lisboa  
& Trevas da Luz
& Meia-Noite ou o Princípio do Mundo
& Goa ou o Guardião da Aurora 
& À Procura do Sana
& A Sétima Porta
& Confundir a Cidade com o Mar
& Dança Quando Chegares ao Fim 
& Os Anagramas de Varsóvia 
& Ilha Teresa 
& Hugo e Eu e as Mangas de Marte 
& A Sentinela 
& Se Eu Fosse… 

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Sábado na BE!

     A próxima sessão de Sábado na BE! é no dia 31. Já só faltam dois dias...
     Participa em mais uma magnífica história e diverte-te com o ateliê pensado especialmente para ti... e para a tua família. 
     Porque ler é... voar!


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

JANEIRO









 Sábado na BE! - novembro e dezembro

     As sessões de Sábado na BE!, de novembro e dezembro, foram tão bem sucedidas como a de outubro: muitos meninos e meninas, papás e mamãs.
     Em novembro, as aventuras de Marley, o cão traquinas!, de John Grogan, fizeram as delícias de todos. Em dezembro, a magia da quadra natalícia  e A carta dos duendes, de Marie Duval e Alain Jost, deram ainda mais cor e alegria à época.
     Excelentes momentos de leitura, com ateliês divertidos. Momentos sempre muito bem passados!
        Vejam as imagens, elas falam por si...


   

Melhores leitores do primeiro período

     Aqui ficam os nomes dos alunos com maior número de requisições para leitura domiciliária.
     Parabéns a todos e continuação de boas leituras!






terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Feira do Livro 2014

Entre os dias 9 e 16 de dezembro decorre, em Arcozelo, Lagoas e Refoios, mais uma Feira do Livro.
Em Arcozelo, numa parceria entre a BE e o Departamento de Línguas, a colaboração é  da Antunes Livreiros. Nas Lagoas e em Refoios, colabora connosco a Livraria União.
Boas leituras!




Dia do Pijama

As turmas do CE de Arcozelo e os alunos da UAEM aderiram ao desafio lançado pela Biblioteca Escolar no dia 20 de novembro - Dia Nacional do Pijama - e vestiram bonecos e bonecas de pijama.
Aqui fica o resultado: trabalhos magníficos!


quarta-feira, 3 de dezembro de 2014


No próximo dia 11 de dezembro, Manoel Oliveira faz 106 anos.

Manoel Cândido Pinto de Oliveira é um cineasta português e, segundo se diz, o mais velho realizador do mundo em atividade.

Ao longo da sua carreira de cineasta, Manoel de Oliveira tem alcançado diversos prémios. Entre outros, recebeu no Festival de Veneza o Leão de Ouro Especial do Júri, com Le Soulier de Satin, e o Grande Prémio Especial do Júri, com a A Divina Comédia.
O conjunto da sua obra foi também, diversas vezes, objeto de homenagem, tanto em Portugal (1979, Festival de Cinema da Figueira da Foz) como no estrangeiro, nomeadamente Itália (1994, Prémio David Donatello) e Israel (1998, Prémio Obra de Uma Vida, do Festival de Cinema de Jerusalém).


O aniversário de Manoel de Oliveira será assinalado com a estreia em Portugal do seu mais recente filme, 'O Velho do Restelo', e com a exibição, nas salas de cinema, de três curtas-metragens relacionadas com o Porto, sua cidade natal: ‘Douro, Faina Fluvial’ (1931), ‘O Pintor e a Cidade’ (1956), ‘Painéis de São Vicente de Fora - Visão Poética’ (2010).

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Mais um Sábado na BE!

E aí vem mais uma sessão de Sábado na BE! É já este próximo, dia 22.
Tens um animal de estimação? Então vais adorar! Não tens? Vais adorar, também!
Aparece. E não te esqueças: é para ti e para a tua família.






Aniversários
 Se José Saramago fosse vivo, teria celebrado 92 anos no passado dia 16 de novembro. O nosso Nobel da Literatura deixou-nos há quatro anos.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

“Cronicando”…
 


Sorrisos à solta

         Saio da cama, ainda sonolento, e preparo-me para mais um dia de aulas. A minha mãe leva-me de carro, juntamente com o meu irmão. Aborrecido por me ter levantado tão cedo, ligo o rádio à procura de uma boa música para me animar. Mas, grande chatice, todas as estações de rádio estavam nesse momento a transmitir mensagens, apelando a que cada condutor sorrisse para os condutores dos carros que se cruzassem com ele, bem como para as pessoas que circulassem na rua.
         Achei a ideia super interessante e muito criativa. Seria intrigante verificar se todas as pessoas com quem me cruzasse corresponderiam ao meu sorriso, esquecendo as tristezas e os problemas do seu dia a dia. O anúncio de rádio foi uma bela inspiração. Todas as pessoas olhavam para o carro ao lado e mostravam o mais belo sorriso que conseguiam. As pessoas na passadeira cumprimentavam-se e sorriam. Até o mendigo, todo esfarrapado, sujo e triste, esqueceu a sua condição de pobreza e sorriu para os transeuntes e, inesperadamente, as pessoas deixavam umas moedas na sua caixa de cartão. Ele agradecia a todos e imaginava a refeição que poderia comprar com aquele dinheiro.
            Vou tão absorvido neste passatempo que nem dou conta de que já estou a chegar à escola. A minha mãe despede-se de mim, eu dou-lhe um beijo e digo-lhe que é a melhor mãe do mundo.
            Avisto ao longe os meus colegas e aproximo-me deles. Pergunto-lhes se também ouviram o anúncio da rádio, ao que todos respondem com um gesto: um sorriso de orelha a orelha.
            Contra factos não há argumentos: o anúncio tinha sido mesmo um sucesso.


Luís Diogo Carreira 9º B Nº 11

quinta-feira, 6 de novembro de 2014


Crónicas da cidade                













Cegos, surdos e mudos

             Era mais um dia fatigante, triste e solitário. Na verdade, era apenas um dia igual a tantos outros.
             Estava distante, pensando através do vidro do carro, o mesmo que me separava do mundo exterior e da confusão que se gerava logo pela manhã.
             Enquanto esperava na longa fila de carros que se mantinha à minha frente, liguei o rádio. A música já tinha acabado e, poucos segundos depois, ouço uma voz incrivelmente grossa e apelativa. Encostei-me confortavelmente no banco e fiquei a escutá-la. Quando a mensagem acabou, esbocei um sorriso, olhando para a pessoa que se encontrava no carro ao lado.
             Nesse momento, percebi a razão daquela mensagem. Não é que as pessoas estejam erradas, é que apenas não dão o melhor de si. Hoje ignoram o que sentem, mas amanhã talvez não tenham a oportunidade de dizer o quanto amam os outros, pois só sabem valorizar alguém, quando essa pessoa já não está por perto. Aí, o sentimento já parece remoto e pouco exibido, e dessa forma as aparências tomam o seu lugar. Vivemos de aparências, procurando sempre atingir os ideais.
           Até que ponto podemos ser tão fúteis? Até ao ponto de pensarmos que iremos ficar cá para sempre, mas somos apenas convidados neste mundo. O ser humano tem de aprender a superar, a aprender e a melhorar, partindo das suas experiências.


Mónica Marinho 9º B Nº 18

quinta-feira, 30 de outubro de 2014


Mais alguns comentários dos nossos alunos...                











            Os “5 minutos de leitura” foram criados pela Biblioteca de Arcozelo. Esta atividade nasceu no âmbito da promoção da leitura.
          Este projeto tem não só o objetivo de cativar para a leitura mas também de levar os alunos a conhecerem melhor todo o tipo de textos, desde poéticos, narrativos, dramáticos, entre outros.
              Este tipo de projetos não beneficia apenas os alunos, a Escola também tem a ganhar com os seus resultados.
                A meu ver, acho bem que haja este tipo de incentivo por parte da Escola. O único ponto contra é que muitos dos professores não respeitam este projeto.

Tiago Morado 8ºE Nº 20


        Os “5 minutos de leitura” é uma atividade organizada pela Biblioteca Escolar de Arcozelo que consiste em passar os primeiros cinco minutos de aula de cada dia a ler uma obra escolhida por alunos ou professores.
          No meu ponto de vista, esta atividade ajuda-nos a ganhar hábitos de leitura e a praticá-la diariamente. Também, ao começar a primeira aula do dia com esta “brincadeira”, ficamos mais descontraídos e preparados para aprender, o que é muito bom, pois aumenta o nosso rendimento escolar.
         Eu gosto bastante deste projeto e acho que ele deveria existir durante muitos anos, pois é um bom incentivo para aqueles alunos que não gostam de ler e os que gostam praticam-no mais.

Márcia Alves 8ºE Nº 12


        Hoje vou comentar uma das atividades existentes nesta escola: “5 minutos de leitura”. Estes “5 minutos de leitura” servem para conhecermos vários livros. Implica que os professores, no início do ano letivo, escolham um livro por turma para que todos os alunos leiam e depois o comentem.
           Na minha turma, o livro escolhido foi O rapaz do pijama às riscas.
        Eu acho bem que esta atividade aconteça, pois contribui para o desenvolvimento da oralidade, da escrita e da criatividade dos alunos.
          Na minha opinião, esta iniciativa deveria continuar, pois é uma das várias bases que podemos ter para a disciplina de Português e para a vida.

Bruno Franco 8ºE Nº 2